Recognize the epidemiological and geospatial profile of the Mobile Emergency Care Service: a strategy to optimize response time

Inácia Jordana de Oliveira Santos, Renata Delgado Milani, José Antonio da Silva Júnior, Antônio Gomes de Sousa Sobrinho, Filipe da Silva Peixoto, Ellany Gurgel Cosme do Nascimento

Texto completo:

PDF (English)

Resumen

Epidemiological, cross-sectional, descriptive, retrospective study of a quantitative nature, to trace the epidemiological and geospatial profile of the occurrences assisted by the Mobile Emergency Care Service. For that purpose, secondary data from the documents of the Mobile Emergency Care Service of a city in the interior of Rio Grande do Norte were used, considering the frequency of the variables: sex, age group, nature of occurrences, days of the week, ambulance sent, removal inter-hospital care and patient destination. Of the 363 occurrences, most were due to clinical causes, followed by traumatic, psychiatric, and gynecological/obstetric causes, with an emphasis on cardiovascular diseases and transport accidents. aged 19 to 59 years and over 60 years, with the Basic Support Unit providing the majority of care. Among the calls for clinical causes, women stood out, while for traumatic and psychiatric causes, men. The information contributes to the organization and planning of the service and the understanding of the morbidity profile. The geographic distribution highlights the need for integration between health agencies, for the institution of preventive actions, and the redirection of human and financial resources.

Palabras clave

Epidemiological Monitoring; Health Profile; Spatial Analysis; Emergency Medical Services

Referencias

Brasil. Portaria Nº 1.864/GM, de 29 de setembro de 2003. Institui o componente pré-hospitalar móvel da Política Nacional de Atenção às Urgências, por intermédio da implantação de Serviços de Atendimento Móvel de Urgência em municípios e regiões de todo o território brasileiro: SAMU-192. Diário Oficial da União, 6 out; 2003.

Brasil. Portaria Nº 2048/GM, de 5 de novembro de 2002. Diário Oficial da União, 12 nov; 2002.

Teles AS, Coelho TCB, Ferreira MPS, Scatena JHG. Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) do Estado da Bahia: subfinanciamento e desigualdade regional. Cad Saúde colet. 2017;25(1):51-7. DOI: https://doi.org/10.1590/1414-462X201700010188

Mata KSS, Ribeiro IAP, Pereira PSL, Nascimento MVF, Carvalho GCN, Macedo JB, et al. Entraves no atendimento pré-hospitalar do SAMU: percepção dos enfermeiros. Rev Enferm UFPE. 2018;12(8):2137-45. DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v12i8a236537p2137-2145-2018

Oliveira CCM, O’Dwyer G, Novaes HMD. Desempenho do serviço de atendimento móvel de urgência na perspectiva de gestores e profissionais: estudo de caso em região do estado de São Paulo, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. 2022;27(4):1337-46. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232022274.01432021

Almeida PMV, Dell’Acqua MCQ, Cyrino CMS, Juliani CMCM, Palhares VC, Pavelqueires S. Análise dos atendimentos do SAMU 192: Componente móvel da rede de atenção às urgências e emergências. Esc Anna Nery. 2016;20(2):289-95. DOI: https://doi.org/10.5935/1414-8145

Andrade SSCA, Mello-Jorge MHP. Mortality and potential years of life lost by road traffic injuries in Brazil, 2013. Rev Saude Publica. 2016;50(0). DOI: https://doi.org/10.1590/S1518-8787.2016050006465

Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte. SAMU - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência [acess 22/02/2021]. Available from: http://www.saude.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=2370&ACT=null&PAGE=null&PARM=null&LBL=NOT%C3%8DCIA

Prefeitura de Mossoró. SAMU Mossoró intensifica trabalho essencial na pandemia da Covid-19 [acess 22/03/2021]. Available from: https://www.prefeiturademossoro.com.br/index.php/noticia/samu-mossoro-segue-firme-com-trabalho-essencial-na-pandemia-da-covid-19#:~:text=SAMU%20Mossor%C3%B3%20intensifica%20trabalho%20essencial%20na%20pandemia%20da%20Covid%2D19,-Por%3A%20Diego%20de&text=Ao%20completar%2016%20anos%20de,mundo%20a%20pandemia%20do%20Coronav%C3%ADrus

Prefeitura de Mossoró. SAMU recebe duas ambulâncias novas durante semana que comemora 15 anos de criação em Mossoró [acess 22/03/2021]. Avaiable from: https://www.prefeiturademossoro.com.br/index.php/noticia/samu-recebe-duas-ambulancias-novas-durante-semana-que-comemora-15-anos-de-criacao-em-mossoro

Prefeitura de Mossoró. Serviço de Atendimento Móvel de Urgência completa 15 anos em Mossoró [acess 22/03/2021]. Available from: https://www.prefeiturademossoro.com.br/servico-de-atendimento-movel-de-urgencia-completa-15-anos-em-mossoro/

Souza MP, Pelosso SM, Riedo CO, Salvarani WS, Olivieira NLB, Carvalho MDB. Trend of care for external causes in the Mobile Emergency Care Service. Acta Paul Enferm 2022;35:eAPE01886. DOI: http://dx.doi.org/10.37689/acta-ape/2022AO018866

Seyboth MP, Assada VK, Danielli VR. Delineamento do perfil epidemiológico dos atendimentos do sistema de atendimento móvel de urgência (SAMU) Maringá-PR. Revista Uningá. 2018;48(1). DOI: https://doi.org/10.46311/2318-0579.48.eUJ1285

Mendonça MFS, Silva APSC, Castro CCL. Análise espacial dos acidentes de trânsito urbano atendidos pelo serviço de atendimento móvel de urgência: Um recorte no espaço e no tempo. Rev Bras Epidemiol. 2017;20(4):727-41. DOI: https://doi.org/10.1590/1980-5497201700040014

World Health Organization. Road traffic injuries. Fact sheet [acess 12/10/2022]. Available from: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/road-traffic-injuries#:~:text=Road%20traffic%20injuries%20are%20the,pedestrians%2C%20cyclists%2C%20and%20motorcyclists

Steindorff GM, Simon BS, Stamm B, Garcia RP, Stofel NS, Oliveira Júnior SB. Perfil clínico-epidemiológico de um serviço de atendimento móvel de urgência. Rev Enferm Atenção Saúde. 2022;11(1):e202140. DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v11i1.4806

Cabral APS, Souza WV. Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU): análise da demanda e sua distribuição espacial em uma cidade do Nordeste brasileiro. Rev Bras Epidemiol. 2008;11(4):530-40. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-790X2008000400002

Conselho Federal de Medicina. Em dez anos, acidentes de trânsito consomem quase R$ 3 bilhões do SUS [acess 12/10/2022]. Available from: https://portal.cfm.org.br/noticias/em-dez-anos-acidentes-de-transito-consomem-quase-r-3-bilhoes-do-sus/

Freitas I M, Nóra AE. Serviço de atendimento móvel de urgência: perfil epidemiológico dos acidentes de trânsito com vítimas motociclistas. Rev. Enferm. Integrada. 2012;5(2):1008-17.

World Health Organization. Cardiovascular diseases (CVDs) [access 16/10/2022]. Available from: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/cardiovascular-diseases-(cvds)

Casagrande D, Stamm B, Leite MT. Perfil dos atendimentos realizados por uma Unidade de Suporte Avançado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) do Rio Grande do Sul. Sci Med. 2013;23(3):149-155.

Giaretta V, Ferronato M, Ascari TM, Krauzer IM. Perfil das ocorrências em um serviço de atendimento móvel de urgência. Revista Baiana de Enfermagem. 2013;26(2):478-87. DOI: https://doi.org/10.18471/rbe.v26i2.6597

Sarmento SDG, Dantas RSN, Dantas DV, Oliveira SP, Henriques LMN, Costa IB. Perfil das vítimas de afecções neurológicas atendidas por um serviço pré-hospitalar móvel de urgência. Cogitare Enferm. 2017;22(2):e49698. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v22i2.49698

Dias EG, Silveira AOA. Perfil dos clientes e atendimentos realizados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência da macrorregião Norte de Minas. R. Interd. 2017;10(4):50-9.

Souza RM, Morabito R, Chiyoshi FY, Iannoni AP. Análise da configuração de SAMU utilizando múltiplas alternativas de localização de ambulâncias. Gest Prod. 2013;20(2):287-302. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-530X2013000200004.

Barreto B, Alexandrino F, Coelho O. Posicionamento de ambulâncias do SAMU através de Programação Inteira e Teoria de Filas. Gest Prod. 2016;23(4):828-41. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-530X2100-16.

Brasil. Portaria GM/MS nº 2.657, 16 de dezembro de 2004. Estabelece as atribuições das centrais de regulação médica de urgências e o dimensionamento técnico para a estruturação e operacionalização das Centrais SAMU-192. Diário Oficial da União; 2013.

Gentil RC. Aspectos históricos e organizacionais da remoção aeromédica: a dinâmica da assistência de enfermagem. Rev. Esc. Enf. USP. 1997;31(3):452-67. DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-62341997000300008

Silva NC, Nogueira LT. Avaliação de indicadores operacionais de um serviço de atendimento móvel de urgência. Cogitare Enferm. 2012;17(3):471-7. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v17i3.29287

Pereira AP, Moraes RM, Vianna RP. Aplicação do método scan para a detecção de conglomerados espaciais dos acidentes de trânsito ocorridos em João Pessoa-PB. Hygeia. 2014;10(18):82-97. DOI: https://doi.org/10.14393/Hygeia1023393

Soares RA, Pereira AP, Moraes RM, Vianna RP. Caracterização das vítimas de acidentes de trânsito atendidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) no Município de João Pessoa, Estado da Paraíba, Brasil, em 2010. Epidemiol Serv Saúde. 2012;21(4):89-92. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742012000400008



Copyright (c) 2024 Inácia Jordana de Oliveira Santos, Renata Delgado Milani, José Antonio da Silva Júnior, Antônio Gomes de Sousa Sobrinho, Filipe da Silva Peixoto, Ellany Gurgel Cosme do Nascimento

Licencia de Creative Commons
Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.